terça-feira, 18 de setembro de 2012

Após greve de bancários, Correios também devem parar.

Um impasse nas negociações da campanha salarial 2012 levarão mais de 84% dos trabalhadores dos Correios a iniciarem uma greve nacional a partir desta quarta-feira(19). Na noite desta terça-feira(18), cerca de 25 sindicatos da categoria farão assembleias que poderão deflagrar a greve. Apenas Bahia, Mato Grosso do Sul, Santos (SP), Santa Maria (RS), Acre, Juiz de Fora (MG), Rio Grande do Norte, e Ribeiro Preto (SP) não farão a deliberação hoje, até então marcada para o próximo dia 25. No entanto, pelo clima de greve, alguns desses sindicatos podem também antecipar suas decisões.
Os trabalhadores em Minas Gerais e no Pará já estão em greve desde a semana passada. A categoria reivindica um aumento de 43,7% e R$ 200 linear, ticket de R$ 35, a contratação imediata de 30 mil trabalhadores, o fim das terceirizações, além de outros pontos para garantia de melhores condições de trabalho.

Bancos fechados
Os bancários entraram em greve por tempo indeterminado nesta terça-feira (18). De acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), os trabalhadores reivindicam aumento de 10,25% nos salários, uma participação nos resultados equivalente a três salários mais R$ 4.961,25 fixos, piso salarial de R$ 2.416,38, criação do 13º auxílio-refeição e aumento dos benefícios já existentes para R$ 622, fim da rotatividade e das metas "abusivas", melhores condições de saúde e trabalho e mais segurança nas agências.

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), braço sindical do sistema financeiro, informou por meio de nota que apresentou uma proposta no dia 28 de agosto. Segundo a federação, a proposta prevê reajuste salarial de 6%, que corrigirá salários, pisos, benefícios e Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O piso salarial para bancários na função de caixa passará para R$ 2.014,38 para jornada de seis horas. Entre outros benefícios, está prevista a 13ª cesta no valor de R$ 359,42.

A Fenaban lamentou a postura de greve da categoria, através de nota à imprensa.
“Greve é ruim para todo mundo: é ruim para o bancário, é ruim para o banco, é ruim para a população, que já foi muito incomodada pela onda de greves dos funcionários públicos e não merece ser mais incomodada com uma paralisação dos bancários”, disse o diretor de Relações do Trabalho da Fenaban, Magnus Ribas Apostólico.

Fonte: oreporter.com

Veja Também:

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário