terça-feira, 4 de junho de 2013

Após polêmica, Anvisa divulga gabaritos de concurso com 314 vagas.

A Cetro, banca organizadora do concurso da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), divulgou os gabaritos da seleção com 314 vagas. O concurso oferece oportunidades para cargos de níveis médio e superior, com salários que variam de R$ 4.760,18 a R$ 10.019,20 para uma jornada de trabalho de 40 horas semanais. Mais de 125 mil candidatos se inscreveram às vagas para técnico, analista e especialista. A concorrência é alta: 399 pessoas por cada oportunidade.

A aplicação das provas ocorreu neste domingo (2/6) e foi marcada por muito tumulto provocado pela falta de organização da banca. Na Universidade Paulista (Unip), um dos locais de prova, os fiscais começaram a distribuir os cadernos com pelo menos 40 minutos de atraso. Dezenas de pessoas não receberam a prova ou a receberam com o lacre do envelope violado. Os candidatos prejudicados pediram o cancelamento do certame e fizeram denúncias contra o Instituto Cetro. A Polícia Militar foi chamada para conter os mais exaltados.

Candidatos registraram ocorrência na 1ª Delegacia de Polícia Civil do Distrito Federal, e a PCDF informou que o caso será levado para investigação da Polícia Federal (PF). Em comunicado a Cetro, banca organizadora do certame, informou que "fatos isolados foram observados e são objeto de apuração por parte desta organizadora. Tão logo esteja concluída esta averiguação, os candidatos serão informados através do site www.cetroconcursos.org.br.

Saiba mais
A prova estava marcada para as 8h. Quem estava na Unip disse que nem todos os fiscais recolheram celulares e relógios, um desrespeito às regras do edital de abertura. Erros como malotes trocados atrasaram a distribuição dos cadernos. Em algumas salas, candidatos começavam a resolver os exercícios, enquanto outros não haviam recebido a prova. "Logo começou um barulho no corredor. Uma moça da minha sala disse que não faria a prova naquelas condições. O fiscal também não sabia o que fazer. Aí resolvemos sair", contou a dona de casa Vilma de Oliveira, 47 anos. Ela afirmou que alguns candidatos levaram os cadernos de prova, mas outros não puderam fazer o mesmo.

A estudante Tânia Mara Machado, 25 anos, veio de Três Marias, Minas Gerais, unicamente para a prova. "Recebi o envelope aberto. Saí e fiquei esperando uma satisfação", disse. Ainda nervosa por conta da indefinição, Tânia contou que uma prima fez a mesma prova em outro prédio, sem transtornos.


Lorena Pacheco - Do CorreioWeb


Nenhum comentário:

Postar um comentário