quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Isenção de IR beneficia bancários que ganham até R$ 6 mil de PLR.

Depois do anúncio da isenção de cobrança de Imposto de Renda (IR) na Participação nos Lucros e Resultados (PLR) para trabalhadores que recebem valores até R$ 6.000,01, representantes sindicais exaltam a Medida Provisória como um incentivo ao consumo e geração de riquezas. A nova regra, anunciada na véspera do Natal, atende a uma reivindicação histórica dos sindicatos e centrais sindicais brasileiros.
O diretor administrativo do SindBancários, Celio dos Santos, diz que a isenção do IR nas PLRs dos bancários e bancárias deve ser reconhecida como uma vitória da categoria. “Há mais de um ano começamos a negociar com o governo federal. Dizíamos que, no caso dos bancários, a retirada do desconto de alíquota para quem recebe até R$ 6 mil atingiria a maior parte da base e representaria uma injeção de dinheiro na economia em todo o país”, disse Celio.

Segundo o dirigente sindical, ao anunciar a Medida Provisória na véspera do Natal, o governo federal acena com uma das bandeiras do SindBancários, que é demonstrar aos banqueiros que investir no trabalhador dá lucro. “O governo federal tem dado uma demonstração de que vale a pena investir no trabalhador. É alto o custo público para manter um emprego. Os banqueiros deveriam aprender mais com os governos. Em vez de demitir e achatar salários, devem investir em seu maior patrimônio, os bancários, para gerar consumo e movimentar a economia”, acrescentou Celio Santos.

Desde 1992, os bancários têm mostrado que a unidade nacional da categoria constrói um cenário que favorece o fechamento de acordos salariais vantajosos. São 20 anos de negociações de Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) em âmbito nacional. Em 1995, a categoria conquistou o PLR como uma das cláusulas do Acordo Coletivo.

Demanda histórica

A Medida Provisória do governo federal já passa a valer a partir de janeiro de 2013 para todas as categorias de trabalhadores. A isenção de Imposto de Renda sobre a PLR era uma demanda antiga das centrais sindicais. Uma campanha foi lançada no final de 2011. Houve diversas manifestações - em São Paulo, ABC e Brasília - e reuniões com representantes do governo e parlamentares. Um abaixo-assinado com mais de 220 mil assinaturas foi entregue ao governo. A Contraf-CUT encaminhou milhares de adesões recolhidas pelos sindicatos de bancários em todo país, incluindo o SindBancários.

Na sexta-feira, dia 21, um ofício assinado pelos presidentes de CUT, Força Sindical, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Nova Central e União Geral dos Trabalhadores (UGT) foi enviado à Secretaria-Geral da Presidência da República, informando que as centrais aceitam a proposta do governo, apresentada durante o encontro de Natal da presidenta Dilma com catadores de materiais recicláveis e a população em situação de rua, na quadra dos bancários de São Paulo.

Confira como fica o IR sobre a PLR
Até R$ 6.000 não há descontos
R$ 6.000,01 a R$ 9 mil - IR de 7,5% - Desconto: De R$ 450,07 a R$ 675
R$ 9.000,01 a R$ 12 mil - IR de 15% - Desconto: De R$ 1.350 a R$ 1.800
R$ 12.000,01 a R$ 15 mil - IR 22,5% - Desconto: De 2.700 a R$ 3.375
Acima de R$ 15 mil, será 27,5% - Desconto: A partir de R$ 4.125

Fonte: Imprensa SindBancários, com Contraf-CUT, Seeb SãoPaulo e Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário