quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Instituto Cetro vai retomar concurso paralisado da PRF

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) bateu o martelo e definiu o Instituto Cetro como a banca que dará continuidade ao concurso lançado em 2009 para preencher 750 vagas no cargo de polícia rodoviário, de nível superior. O instituto foi contratado por dispensa de licitação. O extrato foi publicado na página 135 (seção 3) do Diário Oficial da União desta quarta-feira (14/12).

Ainda resta organizar as próximas etapas do concurso como o exame de capacidade física, as etapas de avaliação psicológica, avaliação de saúde e o curso de formação profissional. De acordo com a PRF, a intenção é de que o concurso seja retomado no início de 2012. A seleção foi suspensa por conta de indícios de fraudes envolvendo funcionários da antiga organizadora, a Funrio.

Em página oficial, a PRF recomenda aos candidatos que intensifiquem a preparação física e destaca que, na avaliação de saúde, deverão ser apresentados exames realizados em até, no máximo, 180 dias.

Entenda o caso
O concurso foi interrompido em 2009 por suspeitas de fraude envolvendo funcionários da própria Funrio, após um mês da realização das provas objetivas. As denúncias foram levadas ao Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro, que recomendou a paralisação do concurso. Porém, depois de uma série de investigações, o órgão entendeu que não existe problema em continuar o processo de seleção, já que não houve provas suficientes que comprovem o vazamento do gabarito ou do caderno de questões.

A seleção
De acordo com a Funrio, antiga organizadora da seleção, mais de 113 mil candidatos se inscreveram para as oportunidades, que exigem formação de nível superior em qualquer área. A concorrência média é de 151 participantes por vaga. A remuneração para o cargo é de R$ 5.620,12 para uma jornada de trabalho de 40 horas semanais. A prova objetiva foi aplicada no dia 18 de outubro.

As oportunidades são para todo país, com exceção dos estados de Mato Grosso e Pará.
As atividades do cargo são de fiscalização, patrulhamento e policiamento ostensivo, atendimento e socorro às vítimas de acidentes rodoviários e demais atribuições relacionadas com a área operacional da PRF.

Guilherme de Almeida – Do CorreioWeb

Veja Também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário