terça-feira, 18 de outubro de 2011

Fim da greve na Caixa Federal

Caixa Federal aceita proposta e encerra greve

São Paulo - Os empregados da Caixa Federal lotaram o auditório do Espaço Hakka Eventos, na Liberdade. No fim da tarde desta segunda-feira 17, a assembleia decidiu, por ampla maioria, aceitar a proposta e encerrar a greve.

A Caixa aplicará aos salários e verbas – tíquete refeição e alimentação, entre outros – o reajuste de 9% (aumento real de 1,5%). Ficou assegurado também uma PLR maior. A proposta foi aprovada em assembleia na segunda 17 por ampla maioria dos empregados.

A PLR total dos empregados é composta por: 90% do salário mais R$ 1.400, com teto de R$ 7.827,29; PLR adicional que distribuirá 2% do lucro líquido limitado a R$ 2.800; PLR Social que é a distribuição linear de 4% do lucro líquido (veja simulação por faixa salarial no quadro). Neste ano não haverá redutor.

As primeiras parcelas da regra básica da PLR (54% do total), da PLR adicional e da social vêm em até dez dias após a assinatura do acordo.

Piso - Os empregados da Caixa Federal também aprovaram em assembleia um novo valor para o piso de ingresso na empresa: R$ 1.820.

Com incidência de 11,56% no plano de carreira, os empregados que completam 90 dias na empresa passam automaticamente para a faixa 203 na tabela (veja exemplos no quadro). O aumento real assegurado para esse segmento é de 3,9%, mantendo a política de valorização no piso de ingresso. Uma das prioridades do Sindicato na Campanha Nacional Unificada.

Para a carreira profissional o salário inicial, também após o contrato de experiência de 90 dias, passa a R$ 8.128.

Dias parados - O Comando Nacional dos Bancários também garantiu, junto à federação dos bancos, que não será descontado nenhum dia dos trabalhadores em greve. Os dias serão compensados de segunda a sexta-feira (não em feriados), no máximo duas horas por dia até 15 de dezembro. Eventual saldo após esse período será anistiado.

5 mil novas contratações - A campanha Mais Empregados para a Caixa, lançada pelo Sindicato, Apcef-SP e Fenae, foi contemplada na campanha deste ano com o compromisso da direção da empresa em ampliar o quadro em, pelo menos, 5 mil novos trabalhadores. Dessa forma, o número de empregados até dezembro de 2012 deve chegar a 92 mil. O objetivo do movimento sindical é que a empresa conte com 100 mil trabalhadores.

Titularidade por 180 dias - Uma das principais queixas dos empregados era a perda da comissão após 15 dias de afastamento de saúde. Uma medida que penalizava duplamente o bancário: adoecer por conta das condições inadequadas de trabalho e ainda ter sensível redução na remuneração total. Pela proposta aprovada pela assembleia fica garantida a titularidade da função por 180 dias nas licenças para tratamento de saúde.

Adicional noturno incorporado - Os bancários que trabalhavam na extinta compensação de cheques terão a incorporação do adicional noturno. Para isso a Caixa utilizará os termos da RH151. A incorporação será válida para quem têm no mínimo 10 anos de trabalho noturno e o valor será calculado com base na média dos últimos cinco anos. O movimento vai se empenhar agora para que os que trabalham há menos de 10 anos também tenham a compensação.

Avaliador de penhor - Esses profissionais não poderão mais ser deslocados para a bateria de caixas como acontece atualmente. Além disso, haverá a contratação de uma empresa especializada, renomada e com aval do movimento sindical, para a avaliação dos Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs) e dos postos de trabalho.
CCV para 7ª e 8ª horas - O banco criou um grande problema quando fez uma alteração na jornada dos empregados de cargos técnicos, diminuindo o tempo de trabalho de 8 para 6 horas, com redução salarial. O que foi duramente criticado pelo movimento sindical. A pauta voltou a ser debatida mais intensamente nas negociações específicas e agora a Caixa propôs que o tema vá para a Comissão de Conciliação Voluntária (CCV), a ser instalada em até sessenta dias após a assinatura do acordo. Também haverá CCV para os inativos discutirem, por exemplo, a questão dos tiquetes.

A CCV funciona como um fórum que reúne o empregado da ativa, o banco e o Sindicato para tentar chegar a um acordo e resolver o problema sem que tenha a necessidade de ingressar na Justiça.

Promoção - Fechar ainda neste ano os critérios para a promoção por mérito de 2012.

Saúde - A Caixa concordou em manter as discussões para a melhoria do Saúde Caixa em GT específico. Entre os avanços da proposta apresentada está a inclusão, como benefíciário do Saúde Caixa, de filhos e enteados até 24 anos sem renda ou até 27 anos para filhos universitários (em primeiro curso superior) sem renda.

Teleatendimento - Discutir a escala de jornada de trabalho em negociação específica a ser realizada em até 60 dias após a assinatura do acordo.

Cipa - A Semana Interna de Prevenção e Acidente de Trabalho (Sipat) e os cursos de Comissão Interna de Prevenção de Acidente (Cipa) passarão a ser elaborados com a participação dos representantes dos trabalhadores.

Tecnologia - Para atender à reivindicação dos empregados do setor de tecnologia, a empresa está desenvolvendo o projeto de Retenção de Talentos, que visa à valorização do segmento. A proposta será apresentada à Comissão Executiva dos Empregados (CEE).

Representante - O banco aceita alterar seu estatuto para permitir que empregados que não tenham ocupado função de gestor possam concorrer ao cargo de representante dos bancários no Conselho de Administração da Caixa.

Fonte: Sindicato dos Bancários

Nenhum comentário:

Postar um comentário